A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Dispositivo constituído por um tubo recurvado semelhante a um sifão vulgar. O ramo maior do tubo atravessa o fundo de um vaso e o ramo menor abre-se dentro do mesmo e próximo do fundo, ficando a curvatura do sifão abaixo da parte superior do vaso.
Quando se faz correr um fio de água para dentro do vaso, este começa a encher-se, ficando a superfície da água ao mesmo nível, quer por dentro como por fora do ramo menor do sifão. Quando a água do vaso sobe até à parte superior da curvatura do tubo ou um pouco acima, ela passa de dentro do tubo para o ramo maior do mesmo e começa a escoar-se de forma igual à do escoamento feito por um sifão. Como a quantidade de água escoada é maior que a do fio de água que alimenta o vaso, o ramo menor do sifão fica de imediato todo fora de água e o escoamento cessa. Porém, se o fio de água continuar a correr para o vaso, o nível da água dentro do vaso eleva-se novamente até produzir um novo escoamento, processo que se vai repetindo sucessivamente.
Permite produzir descargas intermitentes de água e explicar as fontes intermitentes naturais.

Sistema constituído por quatro tubos de vidro, com a mesma altura, de diâmetros diferentes e ligados pela base, em madeira e com a forma de tronco.
Lançando água num dos tubos, esta passa para os restantes, ficando em todos eles ao mesmo nível.
Dispositivo utilizado para demonstrar que a pressão é igual para todos os pontos ao mesmo nível e que não depende do diâmetro dos tubos - Princípio Fundamental da Hidrostática.

Inventado entre 1818 e 1892 por August Wilhelm Von Hofmann. O aparelho é constituído por um recipiente em vidro, de h=48 cm , válvulas de separação, um par de eléctrodos de platina, um dispositivo com bornes para ligação a um aparelho gerador de corrente. Destina-se ao estudo da electrólise da água (dissociação eléctrica da água nos dois gases componentes: O2 e H2).

Aparelho formado por um vaso que comunica com um tubo cilíndrico, tubo que termina numa peça em latão que tem uma tampa roscada. No interior do vaso, existem dois eléctrodos que estão ligados por fios condutores a uma pilha eléctrica. Se o recipiente for cheio de água acidulada e de seguida hermeticamente fechado, a passagem da corrente eléctrica provoca a electrólise da água. As paredes de vidro do voltímetro são bastante espessas para puderem suportar essas pressões interiores elevadas. É usado para executar a electrólise da água (decomposição da água nos seus componentes por acção da corrente eléctrica).