A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Este dispositivo é composto por um arco em cobre maciço que assenta numa barra de constantan. Debaixo do arco e paralelo a ele encontra-se uma agulha magnética que pode rodar segundo a direcção Norte – Sul.
Aquecendo por meio de um bico de Bunsen a ponta da agulha magnética, esta movimenta-se.
Destina-se a mostrar que um fluxo térmico produz uma corrente eléctrica suficiente capaz de gerar um campo magnético em seu redor.

Apesar dos Egípcios conhecerem esta máquina hidráulica, a sua invenção foi atribuída a Arquimedes por volta de 236 a.C. É constituído por dois tubos independentes: um tubo central exterior oco e um outro colocado no interior. Este último está apoiado de forma a ficar inclinado relativamente à superfície do líquido (água) e tem a extremidade inferior submersa. Através de uma manivela, o conjunto é posto a rodar em torno do seu eixo e a água sobe ao longo do parafuso. Na antiguidade, os Romanos utilizavam este dispositivo em sistemas de irrigação, para retirarem água de minas e os Neerlandeses para drenar os polders, em moinhos de vento. A partir da década de 1970, a Holanda aperfeiçoou esta máquina hidráulica que é actualmente utilizada em todo o mundo não só para elevar grandes caudais a pequenas alturas, como também para bombear esgotos.

Este tipo de pêndulo foi usado por Huyghens em 1657.
Na sua constituição existe um cilindro, uma roda dentada que apresenta uma peça em forma de âncora que tem as extremidades recurvadas (dispostas de modo a que os dentes fiquem apoiadas alternadamente sobre cada uma delas).
Por acção de um peso, o cilindro gira, e acciona a roda dentada. As oscilações são transmitidas a âncora e à roda sendo periódicas e isócronas.
A grande aplicação deste tipo de pêndulo é nos relógios, pois o facto de serem isócronas as oscilações é possível regularizar o movimento dos relógios.

Inventado por Leon Foucault, em 1851.
Inicialmente era constituído por um fio de 67 m de comprimento, no qual estava suspensa uma esfera oca de cobre, cheia de chumbo e cuja massa era de 28 kg.
Hoje em dia, é um sistema formado por uma esfera com uma massa de vários quilogramas, suspensa por um fio metálico com um comprimento de vários metros que oscila em torno duma posição de equilíbrio. Apresenta porém a seguinte característica: o seu plano de oscilação roda directamente no sentido horário (no hemisfério norte) e o seu plano de oscilação roda no sentido dos ponteiros do relógio, se inicialmente ele começar a oscilar na direcção norte-sul, por exemplo.
A rotação do plano de oscilação do pêndulo pode ser atribuída a uma força que, actuando no pêndulo perpendicularmente à sua trajectória (força de Coriolis) que o empurra para a direita quando este se desloca de sul para norte e o empurra para a esquerda quando este se desloca de norte para sul. Esta força modifica a trajectória do pêndulo, é perpendicular à trajectória descrita e inverte o seu sentido quando o corpo se move em sentido oposto. Em suma, o plano de oscilação do pêndulo de Foucault roda num determinado sentido uma vez que está a oscilar em cima de um sistema que roda em sentido contrário à Terra.
Utilizado para demonstrar o movimento de rotação da Terra em relação a um dado referencial e verificar a existência da força de Coriolis.

Aparelho inventado pelo físico-químico Hans Christian Oersted (1777 -1822 ) em 1822 e que foi mais tarde modificado e aperfeiçoado por outros físicos, nomeadamente pelo físico suíço Jean Daniel Colladon ( 1802 ) e pelos franceses Charles Stu ( 1803 – 1855 ), Victor Regnanlt ( 1810 ) e Émide Amagat ( 1841 – 1912 ) É constituído por um depósito de vidro cheio do líquido em estudo, o qual apresenta um prolongamento na parte superior: um tubo capilar cilíndrico dividido em partes de capacidade igual e previamente determinadas. No topo do capilar há uma gota de mercúrio que permite observar mais facilmente a variação de volume. O dispositivo está fixo a uma placa metálica e esta possui um parafuso que controla um êmbolo vertical e um canal com torneira, através da qual entra a água que vai encher completamente o recipiente. Executando uma pressão no seu interior por rotação do parafuso, o volume de líquido vai diminuindo. Para uma determinada temperatura, o coeficiente de compressibilidade obtém-se dividindo a diminuição de volume observada pelo volume de líquido utilizado e pela pressão a que foi submetido. Destina-se a medir com rigor a compressibilidade de um líquido.

Foi inventada pelo físico britânico John Frederick Daniell (1790-1845), no ano de 1836. É constituída por dois eléctrodos: um de cobre e um de zinco imersos em semi-células contendo soluções onde estão presentes os iões (Cu2+ e Zn2+) e por uma ponte salina estabelecida entre as duas semi-células. O seu funcionamento é semelhante ao da pilha de Volta uma vez que possuem os mesmos eléctrodos. As únicas diferenças são que nesta pilha os eléctrodos estão em compartimentos separados e existe uma ponte salina entre as semi-células responsável pelo estabelecimento do circuito eléctrico.

É um modelo de pilha conhecida por termo pilha que é muito sensível à radiação térmica e que foi inventada por Melloni entre 1798 – 1854. Apresenta-se como uma cadeia contínua de barras de bismuto e de antimónio que estão soldadas uma às outras de forma alternada. A cadeia além de ser dobrada tem a forma rectangular, quando está em contacto com a soldadura; as soldaduras pares encontram-se viradas para o mesmo lado e as ímpares para o outro lado. O seu funcionamento baseia-se na diferença de temperaturas existente entre as duas faces distintas do rectângulo formado por metais de diferentes substâncias. A electricidade que gera é devida à radiação térmica que incide sobre barras metálicas de ligas diferentes. Uma das suas características é detectar fontes de calor radiante à distância de um metro e, em consequência, é utilizada no estudo da reflexão, da refracção e da interferência de ondas de calor.

Esta pilha de Volta é feita a partir de camadas alternadas de discos de ferro, de tecido e de cobre. Quando a pilha é mergulhada, durante pouco tempo, numa solução salina, o tecido absorve e retém a solução salina, e a pilha é activada. A pilha produz uma voltagem de, aproximadamente, 0.2 volts. Cada secção de ferro - tecido - cobre tem uma pequena voltagem a atravessá-la, e todas as secções juntas resultam numa voltagem bastante maior.

Instrumento concebido por Jean-Antoine Nollet, em 1764. O aparelho tem a particularidade de apresentar uma escala graduada, orientada num plano vertical, sobre a qual se move um ponteiro. O mecanismo das rodas dentadas e os eixos de transmissão do movimento, tornam possível a observação do seu funcionamento durante a dilatação da barra, em estudo, que é aquecida por quatro pequenas lamparinas. O mostrador do instrumento está dividido em seis sectores, estando cada um deles subdividido em cinquenta partes iguais. A escala móvel roda solidariamente com o ponteiro do instrumento permitindo contar o número de voltas por estas descritas; observação é facilitada pela presença de uma agulha vertical colocada em frente da escala móvel. O mecanismo constituído pelas rodas dentadas, alavancas e eixos de transmissão permitem detectar, com auxílio de um ponteiro integrado, as dilatações imperceptíveis, a olho nú a que fica sujeita a barra em estudo.

Instrumento inventado por Musschenbroek no século XVII e desenvolvido por Becquerel, em 1836.
Consiste em uma vara de cobre e ferro, fina e colocada horizontalmentre entre duas colunas metálicas assentes numa base de madeira. A extremidade direita da vara está fixa por um parafuso de pressão e a esquerda é móvel por intermédio de uma alavanca ligada a um limbo graduado que apresenta uma agulha; esta é movimentada pela alavanca, quando a vara sofre aumentos de comprimento devido à dilatação térmica.
Destina-se não só a avaliar temperaturas muito elevadas, em fornos, nas fundições,etc., como permite fazer a verificação experimental da expansão térmica de metais sob o efeito do calor.

Dispositivo mecânico muito antigo. É constituído por um globo em vidro de raio aproximadamente igual a 31 cm que tem um pé em madeira que, por sua vez, esta apoiado numa base quadrangular também em madeira. Na sua base estão inscritos os signos do Zodíaco que estão distribuídos numa banda que passa em volta da esfera celeste. A banda está dividida em doze partes e indica a posição do Sol em cada mês do ano. No interior do globo, existem representações de estrelas de cores diferentes. O movimento do globo é feito através de um sistema de rodas dentadas semelhante ao de um mecanismo de relojoaria. Destina-se a mostrar as posições relativas e os movimentos dos planetas e das luas em torno do Sol, a sucessão dos dias e das noites e as estações do ano.

É um dispositivo composto por uma mesa de madeira inclinada, unida por uma charneira a uma outra mesa horizontal que serve de base. Na extremidade oposta à charneira encontra-se uma roldana através da qual desliza um fio onde se suspende um peso que equilibra o corpo apoiado na mesa inclinada. Tem ainda um arco de metal graduado que serve para ler o ângulo que o plano inclinado forma com o plano horizontal. O plano inclinado facilita o levantamento de corpos pois a força a empregar ao corpo a deslocar é menor, mas a distância é maior.

Dispositivo inventado por Samuel Christie, em 1833, mas, descrito 10 anos mais tarde por Charles Wheatstone.
Este dispositivo não é mais do que um circuito composto por uma fonte de tensão, por um galvanómetro e por uma rede de 4 condutores, tendo três deles resistências. Para determinar a resistência do condutor desconhecido, os outros três terão de estar ajustados e equilibrados de modo a que a corrente eléctrica no galvanómetro atinja zero.

Este aparelho foi construído por Joseph Bramah, em 1796. Essencialmente é constituído por dois cilindros munidos de êmbolos bombas, êmbolos estes com diâmetros muito diferentes e que comunicam entre si por um tubo metálico. A bomba de diâmetro menor aspira água de um reservatório. Este, de seguida, e comprimida contra o êmbolo de secção maior sendo a sua passagem realizada através da tubagem que liga os 2 êmbolos. Esta operação é realizada por uma manivela ligada a uma alavanca inter-resistente que comunica com o êmbolo de secção menor. A prensa hidráulica é uma aplicação directa do princípio de Pascal.

Instrumento inventado por J.Leslie em 1810. É constituído por dois termómetros: um está exposto ao ar livre e o outro é um bolbo coberto com gaze. A diferença das duas leituras registadas nos dois termómetros dá o valor da pressão parcial do vapor de água. A sua principal aplicação é a determinação da humidade ambiental.