A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Físico e matemático alemão que nasceu em 16 de Março de 1789, em Erlanger e que faleceu em 6 de Julho de 1854, em Munique.
Como filho de um autodidacta e com um elevado grau de conhecimentos teve uma excelente educação. Em criança seu pai ensinou-lhe Matemática, Física e Filosofia. Aos onze anos, entrou para o Ginásio de Erlangen, mas lá pouco aprendeu de ciência. Porém os conhecimentos transmitidos por seu pai em matemática e em ciências foram suficientes para ele entrar, em 1805, na Universidade de Erlanger. Como o tempo de estudo era ocupado a dançar, a patinar no gelo e a jogar bilhar, o pai exigiu que ele saísse da universidade. Em consequência, ele foi para a Suíça e, em Setembro de 1806, leccionou matemática na escola do mosteiro Gottstadt no vilarejo Orpund. Entretanto, um seu amigo aconselhou-o a reiniciar os seus estudos de matemática, dizendo-lhe para ele ler os trabalhos de Euler, Laplace e Lacroix. Apesar de bastante relutante acatou o conselho do amigo, deixou a vaga de professor no mosteiro Gottstadt, em Março de 1809, para ser professor particular em Neuchâtel.
Em 1811, regressou à Universidade de Erlanger - Nuremberg, onde fez o doutoramento com a apresentação de um trabalho sobre luzes e cores e lá foi docente até 1812. Foi professor do ensino secundário de Física e de Matemática, em Bamberg, Colónia e em Berlim. Como aspirava ser professor universitário, continuou a realizar trabalhos de pesquisa originais, dedicando-se à área de Electricidade. Escreveu, ainda, um livro de iniciação à Geometria. Em 1817, conseguiu um lugar mais renumerado numa escola em Colónia e aí continuou o seu esforço autodidáctico de matemática e começou a realizar experiências no laboratório de física da escola.
Em 1825 e 1827 concluiu que a intensidade da corrente eléctrica num condutor diminuía com o aumento do comprimento e aumentava com o aumento da secção, o que está relacionado com o que hoje chamamos de resistência de um condutor. Também desenvolveu a primeira teoria matemática da condução eléctrica nos circuitos, baseando-se no estudo da condução do calor de Fourier; os fios metálicos de diferentes comprimentos e diâmetros usados nas suas experiências eram fabricados por ele.
Desenvolveu a relação matemática entre o que chamava de "fluxo eléctrico" (intensidade da corrente eléctrica) num circuito voltaico e a "potência condutora" de uma pilha, estabelecendo assim a chamada Lei de Ohm que relaciona a tensão eléctrica, a intensidade de corrente eléctrica e a resistência eléctrica. Os conceitos que desenvolveu encontram-se explicados num livro publicado, em 1827: "Die galvanische Kette mathematisch bearbeitet". A explicação científica que deu para justificar a sua lei foi muito mal recebida pelo ministro prussiano da educação da época e daí esta ser desconhecida até 1841; só foi reconhecida quando recebeu a medalha Copley da Royal británica.
Dois anos antes de morrer, é que conseguiu uma posição estável e o seu nome foi dado à unidade de resistência eléctrica no Sistema Internacional de unidades por decisão do Congresso Mundial Eléctrico reunido, em Chicago, em 1893.
Em 1933, ano do Centenário da sua entrada no Instituto Politécnico da Baviera, este passou a designar-se “Instituto Politécnico Ohm de Nuremberga” e, em 1983, foi dado pelo Parlamento da Baviera, o nome de "Escola Superior Georg Simon Ohm de Nuremberga" ao Instituto Politécnico construído em 1971. Existe, ainda, em sua homenagem, uma cratera na Lua chamada Cratera Ohm.

Físico dinamarquês que nasceu no dia 14 de Agosto de 1777, em Rudkjoebing e faleceu no dia 9 de Março de 1851, em Copenhaga. Doutorou-se em 1799. Após ter realizado uma longa viagem de estudo pela Europa foi nomeado, em 1804, professor de Física da Universidade de Copenhaga. Foi também inventor do piezómetro (aparelho que serve para medir a compressibilidade dos líquidos). Dedicou-se também a estudos e a investigações no campo da química. A ele se deve o isolamento do alumínio e a preparação do cloreto de alumínio. Muitos dos seus trabalhos incidiram sobre problemas de electromagnetismo tendo descoberto em 1820,o efeito que tem o seu nome. Em 1829 foi nomeado director da Escola Politécnica de Copenhaga e escolhido pela Academia de Ciências de Copenhaga para seu secretário perpétuo. Em 1842 foi eleito sócio estrangeiro da Academia de Ciências de França.